Programa Mulheres Mil certifica mais de 100 mulheres em cursos de qualificação profissional no DF

Formatura do programa Mulheres Mil entregou certificados para 111 mulheres que concluíram diversos cursos de qualificação profissional | Fotos: Felipe de Noronha/SEEDF

A iniciativa Mulheres Mil se propõe a oferecer 605 vagas de qualificação profissional até 2025, em oito regiões administrativas do Distrito Federal


Por Agência Brasília* | Edição: Carolina Caraballo

A Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF) realizou, nessa terça-feira (2), a formatura dos cursos de qualificação profissional da 1ª etapa do ciclo 1 de 2024 do programa Mulheres Mil, em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Ao todo, 111 mulheres receberam certificados nos cursos de assistente administrativo, manicure e pedicure, costura de máquina reta e overloque, bombeiro civil e operador de computador.

O evento ocorreu no auditório do Espaço Cultural Professora Neusa França, na sede da SEEDF, e foi aberto com uma apresentação da Orquestra Sinfônica da Escola de Música de Brasília (EMB). A cerimônia contou com a presença da subsecretária de Educação Básica da SEEDF, Iêdes Braga, do diretor do Centro de Educação Profissional de Planaltina, Paulo Cesar Ramos, do diretor do Centro de Educação Profissional de Santa Maria, Elijaime Nunes Leôncio, de educadores e das alunas.

A subsecretária Iêdes Braga enfatizou a importância do programa para a capacitação e inserção das mulheres no mercado de trabalho. "A área da educação profissional tem o objetivo de ampliar as possibilidades de formação e qualificação de nossos estudantes e da sociedade como um todo. Nesse caso, o programa tem uma importância ainda maior, pois tem como público mulheres em situação de vulnerabilidade", destacou a gestora.

Maria de Fátima Cavalcanti, 55 anos, uma das formandas do curso de operadora de computador, expressou sua gratidão pela oportunidade e está cheia de boas expectativas para o futuro. "O curso foi essencial para meu crescimento pessoal e profissional. Esse universo da computação e internet veio em uma hora muito boa, me dando a possibilidade de pensar mais alto, pois no curso aprendemos outras coisas também, como matemática e empreendedorismo. Agora me sinto mais preparada para o mercado de trabalho e para empreender", conta.


Maria de Fátima Cavalcanti se formou no curso de operadora de computador e pensa em empreender no futuro: "Agora me sinto mais preparada"

Empoderamento

O programa Mulheres Mil não apenas capacita as participantes em habilidades técnicas específicas, mas também fortalece o empoderamento feminino e promove a inclusão social. Durante a cerimônia, as participantes compartilharam histórias de superação e realização pessoal, destacando como o programa não só as preparou para o mercado de trabalho, como também as capacitou a enfrentar desafios pessoais e profissionais com maior segurança e autonomia.

Rufina Rodrigues Dias, 77, se destacou ao participar do curso de costura de máquina reta e overloque, mostrando que idade não é um obstáculo para aprender e ensinar. "Foi a primeira vez na minha vida que entrei na sala de aula depois dos meus 15 anos e foi uma experiência enriquecedora poder aprimorar meu aprendizado em corte e costura e ensinar minhas colegas de turma, ajudando com a linha na máquina. Estou muito feliz com meu diploma", comemorou Rufina.

A estudante recém-formada não esperou para compartilhar a conquista com os filhos. "Eu mandei minha foto de formanda para meus filhos, para eles sentirem ainda mais orgulho de mim. Graças a Deus, todos eles são formados, mas eu não tinha conseguido ainda porque precisava cuidar deles; e hoje foi o meu dia, então estou muito feliz", finalizou.


Rufina Rodrigues Dias (à direita) comemorou a certificação do curso de costura de máquina reta e overloque ao lado da subsecretária Iêdes: "Estou muito feliz com meu diploma"

A professora e chefe da Unidade de Gestão Estratégica de Educação Básica (Unigeb) da SEEDF, Maria Susley Pereira, explicou de que forma a pasta contribui para o programa. "A Secretaria de Educação disponibilizou profissionais com a maior qualidade possível para estar junto dessas mulheres. Estes profissionais têm o conhecimento técnico daquilo que vão trabalhar junto a elas, mas também fazem um trabalho de apoio emocional, ajudando cada vez mais para que elas possam ter uma vida de fato empoderada", contou.

Próxima fase

O programa Mulheres Mil se propõe a oferecer 605 vagas de qualificação profissional para o período de 2024/2025, em oito regiões administrativas do Distrito Federal – Planaltina, Sobradinho, Estrutural, Ceilândia, Gama, Santa Maria, Brazlândia e Paranoá.

"Nós precisamos cada vez mais investir no potencial feminino para garantirmos que o empoderamento tire essas mulheres da situação de vulnerabilidade que elas estão neste momento", destaca Iêdes Braga.

A iniciativa da parceria ressalta a importância da educação como ferramenta para a inclusão social e econômica, e reafirma o compromisso das instituições em promover oportunidades igualitárias e acessíveis para todos.

*Com informações da Secretaria de Educação

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem