Congresso de Educação Profissional e Tecnológica premia melhores trabalhos


Desafios e perspectivas na popularização da educação técnica


A primeira edição do Congresso de Educação Profissional e Tecnológica (EPT), concluída na última sexta-feira (10/11), registrou mais de 1,3 mil inscrições e 110 trabalhos apresentados. O evento aconteceu no Centro de Centro de Cultura e Eventos Professor Ricardo Freua Bufáiçal, no Campus Samambaia da UFG, em Goiânia.

Os números se somam a centenas de alunos, professores e profissionais da área, que também puderam participar de feirão de empregos com possibilidade de contratação imediata e de debates sobre temas como os desafios e oportunidades na EPT, além dos principais avanços tecnológicos, como a inteligência artificial.

Congresso de Educação Profissional e Tecnológica

O evento gratuito foi promovido pelo Centro de Educação, Trabalho e Tecnologia (CETT-UFG), em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), que esteve presente por meio das Escolas do Futuro de Goiás (EFGs).

Três equipes que participaram do hackathon (desafio de tecnologia) e sete artigos apresentados foram premiados.

"Popularizar essa modalidade de ensino é um desafio grande e demanda uma política pública que ouça o mercado, dê assistência estudantil e faça uma ponte para o ensino superior", defende o secretário José Frederico Lyra Netto.

Escolas do Futuro

As Escolas do Futuro, amplamente divulgadas no Congresso, são unidades do Governo de Goiás que oferecem cursos gratuitos de tecnologia e também de arte. Elas são geridas pela UFG e representam uma oportunidade de qualificação profissional e acesso mais rápido ao mercado de trabalho.

Legislação e Reconhecimento Profissional

Além de promover a disseminação de conhecimentos sobre tecnologia e inovação, o Congresso de Educação Profissional e Tecnológica destaca a importância da formação técnica industrial. A premiação de sete artigos e a participação ativa de profissionais e estudantes na feira de empregos evidenciam o papel crucial desses cursos na preparação para o mercado de trabalho.

Vale ressaltar que a valorização da educação profissional está alinhada à legislação vigente, como a Lei 5.524 de novembro de 1968, que regula o exercício da profissão de Técnico Industrial em todas as suas modalidades. Essa regulamentação proporciona aos formados em cursos técnicos e tecnológicos a possibilidade de obterem registro profissional em conselho de classe, consolidando o reconhecimento e a legitimidade desses profissionais no cenário industrial.

Com informações de Juliana Carnevalli / Agência Cora Coralina
Edição: Emerson Tormann

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Últimas

5/recent/post-list