Objetivo da instituição é divulgar as possibilidades terapêuticas das células-tronco mesenquimais junto a pesquisadores

A fim de destacar o potencial de aplicação das células-tronco mesenquimais na medicina, o Hospital IPO promoveu no último dia 19, em Curitiba (PR), o workshop “Legislações e aplicabilidade das células-tronco mesenquimais em terapia celular avançada”. Além de médicos do próprio IPO, o evento reuniu nomes do laboratório de preservação de células-tronco R-Crio, da Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética (Anadem) e do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar).

Ao contrário das células-tronco embrionárias, que, segundo pesquisadores, esbarram na fração ética da medicina, as células-tronco mesenquimais, foco de centro de pesquisa inaugurado pelo IPO no segundo semestre de 2021, podem ser captadas de forma mais simples e em maior quantidade, coletadas em dentes de leites e sisos, tecido adiposo e até mesmo no popular “céu da boca”.

“O workshop que realizamos pode ser considerado um marco temporal importante. Há uma série de indicações terapêuticas relacionadas às células-tronco mesenquimais, mas se os médicos não as conhecerem, não haverá como avançar. Por isso, buscamos divulgar o assunto e incentivar os pesquisadores, para que tenhamos cada vez mais especialistas na área”, pontuou Evaldo Macedo, médico otorrinolaringologista e coordenador do Núcleo de Ensino e Pesquisa do Hospital IPO.

Em sua área de atuação, Macedo afirma que as aplicações vão de correções de fissuras lábio-palatais e alterações craniofaciais e nasais ao tratamento de surdez, para citar algumas possibilidades.

“Os médicos, de uma forma geral, têm um respeito muito grande pela questão das células-troncos, porque sabem de sua amplitude, que essa é a medicina do futuro. O que o workshop mostrou foi que o futuro já chegou. Nossa contribuição é apresentar o que hoje já pode ser realizado em termos de pesquisa, aplicabilidade e divulgação, para que tenhamos um ‘banco de vida’”, completou James Giacomassi, CEO da Blinmed Brasil, empresa parceira da Anadem.

Quem também marcou presença no evento foi o diretor-presidente do Tecpar, Jorge Augusto Callado Afonso, que destacou a importância da aproximação entre iniciativa pública e privada para o desenvolvimento da área de biotecnologia no Paraná e no Brasil como um todo.

“Nós sabemos que o país precisa desenvolver os seus próprios meios, ter a sua autonomia, não só em questão de pesquisa e desenvolvimento [P&D], mas também na produção de insumos para a área da saúde. Esse tipo de parceria, portanto, é fundamental”, concluiu Callado.



Compartilhar:

Assessoria

Comente:

Boazinhas