A chegada do verão pode facilitar a procriação do mosquito transmissor da dengue colocando a população em risco 

Com o início da temporada de fortes chuvas em Goiás, o Hospital Estadual de São Luís de Montes Belos – Dr. Geraldo Landó (HESLMB) alerta a população sobre o aumento no número de casos de dengue. Impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor também da zika e chikungunya, é a forma de prevenção mais eficaz no combate à doença.

No primeiro semestre deste ano, o HESLMB notificou cerca de 1.120 casos de dengue. De acordo com a Secretária de Estado de Saúde de Goiás já são mais de 60.300 casos confirmados neste ano. Durante o verão, a comunidade deve estar vigilante aos fatores de transmissão, contaminação e sintomas, pois algumas complicações da doença podem ser fatais.

“Em parceria com o município e o núcleo de controle de vetores, nós visamos reduzir os casos de dengue e minimizar sintomas graves por meio da conscientização da população”, explica a coordenadora do núcleo epidemiológico do HESLMB, Isabella Santiago.

A especialista orienta a população a eliminar objetos e fazer a manutenção de locais que têm potencial para se tornar foco de água parada, o que contribui para a reprodução do mosquito Aedes aegypti. Isabella reforça a necessidade de manter baldes, caixas d’água e piscinas sempre tampados.

“É importante que os vasos das plantas sejam preenchidos com areia para evitar o acúmulo de água. Calhas e canos também devem estar sempre limpos”, reforça a coordenadora.

Vale lembrar que é preciso lavar bebedouros de animais domésticos todos os dias. Além disso, é recomendado o uso de repelentes – que sejam registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – e roupas que não deixem a pele totalmente exposta.

Em casos de contaminação, a unidade hospitalar de São Luís dos Montes Belos também realiza testes para confirmar o diagnóstico de pacientes.

Sintomas e tratamento

Por ser uma doença febril, um dos primeiros sintomas que se manifesta após o contato com o vírus é a febra alta, podendo alcançar 38º a 40ºC. Outros sintomas são náuseas, vômitos, dores musculares e ao movimentar os olhos, dor de cabeça, manchas vermelhas na pele e em casos graves alterações nos batimentos cardíacos e sangramentos.

A coordenadora Isabella ainda acrescenta cuidados hospitalares adotados pelos médicos ao identificar os primeiros sinais. “Com a pandemia, os sintomas da dengue podem ser confundidos com os da Covid-19. Por isso, quando o paciente busca atendimento no HESLMB apresentando os sintomas, de início fazemos o teste NS1 no laboratório da unidade para identificar e iniciar o tratamento adequado“, afirma.

Após analisar o quadro clínico do paciente, a equipe médica indica o tratamento que se inicia com repouso, medicação  - para diminuir dores e vômitos - e a hidratação (podendo ser via oral, com a ingestão de líquidos ou intravenosa).

“Nós reforçamos a importância de combater a dengue neste momento que começamos a nos recuperar da pandemia. O HESLMB continua zelando pelo bem-estar populacional e se preocupa em disponibilizar um serviço de saúde completo à sociedade”, afirma Éder Souza, diretor da unidade.

Compartilhar:

Caroline Guerra

Comente:

Boazinhas