Durante passeio ciclístico, Detran promoveu momento para refletir sobre a vulnerabilidade de quem pedala e a responsabilidade de todos com o ciclista

Fotos: Pedro Santos.

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal realizou, nesse domingo (21), ação com ciclistas em homenagem ao Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito.

Durante o trajeto do 3º passeio ciclístico do Detran-DF nas Regiões Administrativas, circuito Cruzeiro, o grupo de ciclistas fez uma parada na Praça do Cruzeiro, Eixo Monumental, para um minuto de silêncio a fim de refletir sobre a responsabilidade de todos no trânsito.

A escolha de ação educativa direcionada à segurança do ciclista se dá tanto pela vulnerabilidade desse modal de transporte como pelo crescente uso da bicicleta na locomoção diária, no esporte e no lazer dos brasilienses.

Mais de 500 ciclistas participaram da atividade que também marcou o 62º aniversário do Cruzeiro. Houve mini-palestras, entrega de material educativo e de sacochilas produzida em material refletivo.  

Redução de mortes nos trânsito
Em 2020, o DF registrou 51% de redução de mortes no trânsito em relação a 2010. O melhor resultado foi em relação aos pedestres, onde a redução de mortes foi de 65,5%, caindo de 154 óbitos em 2010 para 53 em 2020. Já em relação aos ciclistas, a redução foi de 44%, reduzindo de 34 mortes em 2010 para 19 mortes em 2020.

Segundo o diretor-geral do Detran, Zélio Maia, as ações de educação, engenharia e fiscalização da autarquia visam proporcionar um trânsito mais seguro para todos, mas, principalmente para os mais vulneráveis: pedestres e ciclistas.

O diretor parabeniza a população do DF, pois a redução da violência no trânsito só foi possível com o engajamento, sensibilidade e compromisso de todos que buscam fazer seus deslocamentos diários de forma mais segura, respeitando a legislação.

Dia Mundial em Memória das Vítimas de Trânsito
A data, comemorada mundialmente no 3º domingo de novembro, foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2005, como um momento para homenagear não apenas as pessoas que morreram em decorrência de acidentes viários, mas também os familiares, amigos e profissionais que lidam diariamente com as consequências traumáticas de tragédias ocorridas no trânsito.
Compartilhar:

Fernando Melo

Comente:

Boazinhas