Foto Kindel Media


Paciente com sangramento por cirrose passa por procedimento inédito no Hospital Brasília unidade Águas Claras

 

O TIPS é realizado de maneira minimamente invasiva, por dentro dos vasos sanguíneos


O Hospital Brasília unidade Águas Claras registrou seu primeiro procedimento Portossistêmico Intra-hepático Transjugular. O TIPS (do inglês Transjugular Intrahepatic Porto-Systemic Shunt) tem duração de cerca de 1 hora e possibilita a redução na hipertensão na veia porta, vaso que drena todo o sangue proveniente dos intestinos para o fígado. O procedimento é indicado para pacientes com quadros avançados de cirrose.

O TIPS é um procedimento da radiologia intervencionista em que é realizada uma "comunicação direta" entre a veia porta e a veia cava inferior, por meio da colocação de uma prótese (stent) instalada no local por um cateter, introduzido pela veia jugular, do pescoço até a veia cava.

O paciente, um senhor de 63 anos, detectou o problema há carca de 6 anos. “Fui diagnosticado em 2015 com cirrose hepática criptogênica. Em agosto de 2021, depois de aproximadamente oito crises de sangramento no esôfago e no estômago, dei entrada na UTI do Hospital Central, em Macapá. Após uma semana de tratamentos sem efeito, fui transferido para o Hospital Brasília unidade Águas Claras, onde indicaram a realização do TIPS”, conta Adilson Pantoja.  

A radiologia intervencionista é a especialidade médica que trata diversas doenças sem necessidade de grandes cirurgias através de técnicas minimamente invasivas, utilizando cateteres.

O responsável pelo procedimento inédito no hospital, o radiologista intervencionista Gustavo Paludetto, explica que o aumento da pressão da veia porta em casos de pacientes com cirrose é decorrente do aumento do fluxo sanguíneo nos vasos do abdome e da maior resistência ao fluxo por conta da alteração da arquitetura do fígado causada pela doença. “A hipertensão portal pode levar a formação de varizes no esôfago (veias dilatadas que podem se romper e causar sangramento digestivo) e ascite (acúmulo de líquido no interior do abdome)”, conta o médico.

Indicado para pacientes portadores de hipertensão portal que apresentem complicações como acúmulo de líquido contendo proteínas no abdome (ascite), sangramento de varizes no esôfago ou estômago de difícil controle e para pacientes diagnosticados com síndrome de Budd-Chiari (bloqueio em uma ou mais veias que transportam o sangue do fígado de volta ao coração), o TIPS é realizado de maneira pouco invasiva, por dentro dos vasos sanguíneos.

Entretanto, o médico esclarece que o procedimento possui efeitos colaterais e riscos envolvidos. “Alguns pacientes podem desenvolver um quadro de sonolência e letargia causado pela incapacidade do fígado de filtrar substâncias do sangue”, explica.

Agora, recuperado da cirurgia, Adilson conta que passou a ter melhor qualidade de vida, com redução do risco de novos sangramentos. “A expectativa é de melhorar cada vez mais, agora sem os sangramentos, para que possa aguardar futuro transplante hepático, que é o meu objetivo”, comemora.

 

Compartilhar:

Pollyana Cabral Jornalista

Comente:

Boazinhas