Dia Mundial de Combate à doença, neste 23 de setembro, vem para lembrar que é preciso ter consciência sobre o problema para tratá-lo e ter qualidade de vida


Cansaço, alteração de humor, noites mal dormidas, dores de cabeça e alergias estão entre os sintomas que podem ser causados pelo estresse. A necessidade de buscar e manter o equilíbrio mental e físico, para que todos possam viver mais felizes, é uma questão de saúde pública.

Como o problema pode demorar a ser percebido, a data de 23 de setembro foi escolhida para ser o Dia Mundial de Combate Estresse. A ideia é conscientizar as pessoas que de todos podem sofrer desse mal e de que é necessário o diagnóstico e tratamento adequados para conquistar uma boa qualidade de vida. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que o estresse é uma epidemia que atinge mais de 90% da população mundial, e como consequência pode causar outras doenças.

O estresse é uma resposta do corpo a algo que ocorre, seja um estímulo físico ou emocional, de modo que a pessoa fica em estado de alerta, o que faz com que o organismo produza e libere mais hormônios como adrenalina e cortisol, por exemplo. Praticar exercícios físicos, meditação, relaxamento e mesmo respirar com atenção, criar rotinas, respeitar a si mesmo e reservar um tempo só para si pode ajudar a lidar com o estresse.

Para quem está enfrentando um tratamento de saúde ou uma internação, é fundamental estar mais tranquilo e relaxado. Pensando na qualidade de vida dos pacientes e colaboradores, as unidades IMED têm ações de acolhimento e humanização, como a escuta ativa por meio do “Projeto Escuta Terapêutica”. A iniciativa é uma linha de comunicação exclusiva e aberta entre colaborador e psicólogo. O profissional que precisa de apoio psicológico para lidar com qualquer tipo de problema tem, ao alcance de uma ligação ou envio de mensagem, o auxílio de um especialista.

Já na ação “Palavras que Curam" conta com o amor, carinho, música e apoio da equipe que enfermagem que escreve bilhetes com mensagens motivacionais que colocadas em uma caixa são sorteadas pelos pacientes e lidas por eles para os demais membros do grupo durante a atividade.

“O cuidado com a saúde mental passa também pela prevenção, diagnóstico e tratamento do estresse que pode se manifestar em meio a momentos difíceis. Estamos aqui para ajudar todos, sejam pacientes ou colaboradores”, afirma Getro de Oliveira Pádua, diretor do IMED.

A live “Amor Cantado” faz este importante alerta: é possível diagnosticar, tratar, ser feliz e mais relaxado ao combater o estresse. Por meio de músicas e alegria contagiante, o projeto de acolhimento musical do Hospital Estadual de Formosa (HEF), Hospital Estadual de Luziânia (HEL), Hospital Estadual de São Luís dos Montes Belos (HESLMB) e Hospital Estadual de Trindade (Hetrin), unidade geridas pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento – IMED, anima as tardes de quartas-feiras com transmissão on-line pelo Youtube e nas unidades hospitalares.

Para o cantor voluntário do Projeto de Acolhimento Musical – Amor Cantado – o engenheiro Hercílio Ramos Júnior, fazer exercícios físicos, como uma caminhada por exemplo, e pausas durante o dia para respirar pode ajudar no combate ao estresse. “Ouvir música e cantar, como fazemos nas lives do Amor Cantado também pode nos deixar mais relaxados e felizes para enfrentarmos nossas rotinas”, disse.

Compartilhar:

Caroline Guerra

Comente:

Boazinhas