Amarildo Furtunato passou 52 dias internado na UTI, lutou pela vida e com apoio e dedicação dos profissionais de saúde se recuperou

Amarildo Furtunato ao deixar o HESLMB no dia de sua alta. Foto: Divulgação.

As histórias de superação em unidades hospitalares por conta da Covid-19 são inúmeras. Sempre que um paciente, que esteve em estado mais grave ou não, vence a enfermidade e obtém alta melhorada é uma verdadeira vitória, não só para ele, mas também para a família e toda a equipe médica que trabalhou pela recuperação.

Hospital Estadual de São Luís de Montes Belos – Dr. Geraldo Landó (HESLMB) continua sendo palco dessas grandes trajetórias. Uma delas é de Amarildo Furtunato, de 59 anos de idade. O guarda municipal de Santa Bárbara de Goiás permaneceu 72 dias internado na unidade com sintomas graves da Covid-19, sendo 52 deles na Unidade de Terapia Intensiva. Nesse período precisou ser intubado em duas ocasiões.

Acostumado a ser resistente, vigilante e com um jeito “durão” por conta de seus trabalhos como guarda municipal, Amarildo se viu desafiado pelo coronavírus no início de junho. Ele lutou de forma determinada e consciente de que precisaria permanecer esperançoso para alcançar a sua recuperação.

“Agradeço a todos pelo cuidado o carinho que tiveram comigo, Deus me colocou em um lugar muito bom e com profissionais excelentes. Mesmo quando estava em um período mais delicado toda a equipe cuidou de mim nos mínimos detalhes, só tenho gratidão por todos do hospital de São Luís”, relata o guarda municipal.

Amarildo após receber alta no HESLMB. Foto: Divulgação.

A força e garra de Amarildo para lutar pela vida foi posta à prova durante o período em que contraiu o coronavírus de uma outra forma também muito dura. Ele presenciou sua esposa ser infectada com a doença, realização o tratamento, mas ela não teve a mesma sorte e faleceu quando ele já estava internado no HESLMB.

“Foi complicado, pois além dele ter se contaminado, a minha mãe também testou no mesmo dia que ele foi para São Luís. Minha mãe foi para Goiânia no decorrer do tempo que ele foi para a UTI, um sem saber de nada do outro e ela não resistiu. Ele é muito forte e sempre foi, não desistiu hora nenhuma de lutar pela vida. Disse que as enfermeiras e os médicos lhe deram muita força, sempre o incentivando a lutar pela recuperação”, contou Alessandra, filha de Amarildo.

Auxiliar administrativa no RH do HESLMB e responsável por passar os boletins médicos dos pacientes aos familiares, Karla Campos relata que seu trabalho a aproxima dos enfermos, além de acompanhar suas lutas. Para a profissional, Amarildo ter sido entubado duas vezes e restabelecer sua saúde após tantos dias internado foi uma conquista gigantesca de toda a equipe médica.

“Após a recuperação do seu Amarildo tenho mais esperança e senti muita felicidade. Acompanhar de perto alguém que foi um guerreiro, que lutou pela sua vida é sem palavras, apenas sorrisos. É sempre importante a valorização do trabalho, cada membro da equipe tem sua contribuição, a enfermagem, os fisioterapeutas, os médicos, todos”, descreveu Karla.

Compartilhar:

Caroline Guerra

Comente:

Boazinhas