Para o empresário José Roberto Colnaghi, momento é positivo para expandir os investimentos da marca

José Roberto Colnaghi, presidente do Conselho de Administração da Asperbras. Foto: Divulgação.

O Brasil vive um momento de grandes oportunidades no mercado do leite. Dados divulgados pela Secex (Secretaria e Comércio Exterior) mostram que no acumulado de janeiro a abril deste ano foram exportados 51 milhões de litros, contra 31 milhões de litros no mesmo período de 2020. O leite em pó integral teve suas exportações incrementadas em 12.8% em relação a março de 2021, totalizando 1.996.853 mil litros equivalentes em abril.

Dados esses que servem como balizadores para análises comerciais do setor alimentício, apresentam que o segmento tem mostrado um bom desempenho, o que inspira a Bonolat em suas ações. “Assim como a indústria alimentícia do exterior, o mercado brasileiro tem muitas oportunidades”, analisa José Roberto Colnaghi, presidente do Conselho de Administração da Asperbras, empresa que detém a marca.

Nesse contexto, ganham expressão alguns derivados do leite, que apresentam crescimento no segmento, apesar da instabilidade sazonal. Entre eles, destacam-se produtos como variedades do leite em pó, creme de leite, bebidas lácteas comuns, zero lactose e enriquecidas. “A efervescência deste mercado aponta à Bonolat o caminho para expansão, agregando novos derivados ao mix de produtos que oferece”, afirma José Roberto Colnaghi.

Este esforço, que começou no ano passado com a inauguração de um novo laticínio em Penápolis, resultou no aumento da linha de produtos. No primeiro semestre, a Bonolat chegou ao comércio atacadista e varejista com dois novos produtos: leites especiais Zero Lactose e Enriquecido.  Segundo José Roberto Colnaghi, a demanda dos consumidores por novas opções também influenciou a decisão. “A procura por ingredientes saudáveis aumentou bastante nos últimos tempos. Consumidores estão prestando mais atenção na procedência de laticínios e preferindo opções que se encaixem as suas necessidades e restrições dietéticas”, avalia o empresário.

Já para o segundo semestre deste ano, a marca está desenvolvendo outras novidades, como o creme de leite em caixinha. Mesmo sem previsão de lançamento, o laticínio já instalou na unidade do interior de São Paulo, em maio, o maquinário necessário para manufatura do produto. Ainda em fase de testes, o creme de leite começará a ser produzido em junho e deve chegar ao mercado até o final do ano.

Compartilhar:

Caroline Guerra

Comente:

Boazinhas